Seg, 18 de Dezembro de 2017
REJEIÇÃO UMA DOENÇA INFECTO-CONTAGIOSA.
Escrito por Márcio Alvarenga    Seg, 05 de Setembro de 2011 01:20    PDF Imprimir E-mail
O titulo pode parecer um tanto quanto forte, mas a intenção é justamente alertar que o problema originado pela rejeição é tremendamente sério. Dependendo da magnitude da rejeição ela praticamente pode inviabilizar qualquer possibilidade quanto um candidato conseguir se eleger. Bem por isso, um candidato deve sempre ter muito cuidado na escolha das pessoas com as quais pretende aparecer em publico. A rigor isso preocupa a começar pela própria equipe de colaboradores. Dependendo da pessoa é preferível agradecer o apoio e dispensar, do que enfrentar o risco de ser rejeitado por conta de uma escolha inadequada de um colaborador. Justamente neste ponto que a pesquisa se mostra extremamente importante, pois através dela você pode testar os nomes com os quais deseja aparecer. Temos observado também que muitas assessorias de imprensa contribuem para dissociar o candidato da própria realidade. Muitas vezes o que ocorre é que determinados assessores na ânsia de proteger o candidato contra assédio ou mas noticias acabam formando em torno do mesmo um verdadeiro circulo de ferro. Muitas vezes determinados sentimentos disfarçados de zelo, mas que revelam ciúmes também contribuem para minar a imagem de um candidato. Portanto, todo cuidado é pouco em se tratando de rejeição pois um candidato deve sempre dar ao eleitor motivos para votar do que rejeitar.
 

Programa Trocando em Miudos     Sebrae      Portal do Investidor      INEP      Ipea      IBGE      Fundação Getúlio Vargas